quinta-feira, 18 de março de 2010

Fragmentos de uma rocha qualquer.

Vento
Que leva para onde não queremos ir
Ou para onde não podemos ir.
Voando sem ter aonde chegar
Voando sem  saber o que encontrar.
Transformando sonhos
Em pedaços
Separando pontos
Que já se complementaram
Desfazendo particulas pelo ar.
Grãos de areia
Jogados por toda direção
Mandados para todo lugar
Separados para talvez se encontrar,
Unidos numa imensidão à beira-mar.

Um comentário:

Anna Carla disse...

Gostei daqui. Vou lendo os textos aos poucos, segui.