domingo, 31 de janeiro de 2010

Abriu a porta, colocou os fones e se dirigiu até uma cadeira na varanda.
A chuva caía lentamente e a brisa tocava seu corpo ainda de pijamas. Nada mais parecia importar. Apenas o sopro gélido em seu rosto. Aquela estranha sensação de renovação, algo que não sentia há...3 anos?
Quem sabe não é tempo de viver de maneira diferente? Quem sabe não seja a tão esperada hora de gritar, correr, fazer as coisas como realmente se deseja?
Alguns não entendem essa sensação. "Pare com isso".
Mas, sinceramente?
Não quer mais se importar com os problemas dos outros a todo momento...

Um comentário:

ANA CLÁUDIA disse...

Você detalha muito bem as cenas. Devia escrever mais histórias. Sunshine.